Nil Matos's

Personalidade

Um dia Jogando Golfe…

Não sei se conhecem uma profissão chamada caddy que é o mesmo que acompanhante ou instrutor de um jogador ou um time de golfe. Ele tem de conhecer todos os campos detalhadamente, como metragem, melhores pontos a atingir, melhor posição para tacar, direção de vento, melhor numero do taco a usar, regras a seguir, enfim tem de ser um especialista na em jogar golfe, conhecimento total dos campos e gerenciar o jogo.
Trabalhei por mais de um ano em um Clube chamado Fuji Country que era localizado há meia hora do centro de uma pequena e charmosa cidade chamada Saga onde eu morava na Ilha de Kiushu, sul do Japão. Subia a montanha rumo ao campo todos os dias as seis e meia da manhã para estar as sete no clube, onde vestia o uniforme e me transformava em uma perita em golfe. O cenário era perfeito demais onde as encostas eram de um verde indescritível e o gramado dos campos lembrava um tapete muito confortável, onde qualquer pessoa teria vontade de tirar os sapatos e correr descalço pelas alamedas arborizadas. Não sei se conseguiria um dia esquecer-me o aroma do ar puro que respirei ali.
Aqueles campos mais pareciam pinturas emolduradas nas montanhas de Saga e eram apenas uma de muitas paixões que senti por aquele país. O verão era límpido e fresco apesar do sol escaldante de mais de 30° onde os guarda sóis coloridos alegravam a paisagem e os jogadores paravam exaustos nos quiosques para bebericar uma biiru (cerveja) ou chá gelado. O inverno era branco. A grama ficava totalmente coberta pela neve e os jogadores insistiam em jogar assim mesmo com suas bolinhas de golfe coloridas, algumas vermelhas, azuis, laranja ou pretas para não perdê-las ou confundí-las com o branco da neve. Quase todo jogo era interrompido por alguma nevasca repentina, mas quase nunca eles desistiam. Isso não é nada comparado aos dias de chuva em que lutávamos contra os tacos sujos de terra e areia e as bolinhas que sumiam no gramado encharcado.
Quando não tínhamos jogadores para acompanhar, fazíamos nosso treino…ou competições entre os caddies, ou ainda, ficávamos contando historias sobre os jogadores quase profissionais e os que não sabiam nem tacar, nem fazer o swing perfeito para uma boa tacada e uma boa pontuação. Éramos quarenta e sete caddies ao todo e nos divertíamos muito, mesmo quando o anoitecer chegava e ainda estávamos enchendo de areia os buracos deixados pelos jogadores naqueles campos verdes e macios…

Anúncios

2011/11/27 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Integridade Indispensável!

Um Exemplo de sistema social
Nós ocidentais possuímos um poder social baseado em uma conduta de ostentação e exibicionismo, arbítrio, egoísmo, com traços de indiferença inaceitável pelas classes menos favorecidas, e nenhuma linha de demonstração de humildade. E mais quinhentas outras características fantasticamente negativas que prefiro não enumerar, mas, que cada um pense e tente aceitar estas minhas críticas repensando sobre suas virtudes e conceitos.
Enquanto isso no Japão as principais características de uma sociedade solida e íntegra tem princípios na benevolência, honestidade e discrição tornando-se assim uma sociedade inabalável e verdadeira. Observamos que suas raízes mais antigas baseadas na ética e religiosidade e integridade cimentada nesta cultura fazem destes indivíduos limitados de desonestidade social em indivíduos de poder e excelência.
Digo isto porque depois de 20 anos, meu retorno ao Brasil foi caracterizado pelo medo de deparar-me com a bagunça e falta de eficácia nas funções de todo um sistema desorganizado e absoluto em incompetência e arrogância da aristocracia e diretrizes dos poderosos.
Enfim… passaram se dois anos até que eu me adequasse à sociedade brasileira novamente. E comparando esses dois sistemas, observo aqui, um misto de sociedade desgastada e absolutismo arbitrário sem nenhum traço de benevolência partindo principalmente das autoridades mais poderosas. Fazendo assim com que eu me retraia e date aqui minhas crônicas imparciais entre Brasil e Japão.

2011/11/10 Posted by | Uncategorized | , , , , , | 4 Comentários

Meu Amor, Minha Vida, Meu Passado e Meu Japão!

Ha muitos meses unpluged, volto com algumas excelentes historias do meu Japão!

Ha um ditado Japones que diz: ” Seja rígido consigo e bom com o próximo”.

Isto implica abdicar de todos os superfluos de sua vida para fazer feliz o proximo?  Quem pode fazer isso? Padres, freiras e monges?  Voce?!

Entao um dia…Um leitor deste blog perguntou-me o qual é o significado deste portal dentro do mar,  da foto de uma de minhas postagens…

Este portal chama-se TORI-MON que significa porta de passagem…porta para uma nova vida ou passagem para um novo caminho…

Dizem que todos os espiritos passam por ali para  uma nova vida. Mas, somente os bons conseguem passar por esta entrada. Enquanto que os maus vagam infinitamente trabalhando e vivendo para o mal.

2011/10/27 Posted by | Uncategorized | 2 Comentários

Onde está Deus?

O Shintoísmo tem traços caracterizados de seu proprio valor, foi criado pelo japones que tem verdadeira aversão por doutrinas. E como em tudo o que  acreditam, eles acreditam em si mesmo e por isso a transcedência do Budismo (da India) e Confusionismo (da China)  mesclados e aperfetiçoados tornou-se a religião japonesa que não adora a um Deus, não tem um livro a escravizar o povo, não tem templos a serem frequentados,  não exige obrigações, não pede dízimos, não condena ou absolve, não tem uma doutrina a seguir. Voce é educado pelo Shintoísmo desde que nasce, aprendendo a respeitar o proximo, a fazer o bem, a conviver com as pessoas sem invadir seu espaço, sem julgar. Aprende a  não ter preconceitos; a se aperfeiçoar sempre, tanto espiritual como materialmente; a  aceitar com alegria e louvor a missão a que foi designado e seguir sempre com orgulho e perseverança. Aprende a respeitar o calendario de festividades, amar o seu país e  ao próximo como a si mesmo. O Shintoísmo é uma forma de ser livre trabalhando para si e para a sociedade. Os aspectos culturais japoneses são de extrema importancia dentro desta “religião” porque são cultuados pelo resto de suas vidas e respeitados como seus verdadeiros deuses que são encontrados dentro de cada um deles. Porque o Deus deles está em tudo, na natureza, na flora e fauna e principalmente em sua arte oriental. Esta é sua verdadeira identidade.

2011/03/31 Posted by | Uncategorized | 1 Comentário

Minha Terra nao tem Palmeiras e nem canta o sabiá…

Minha Terra tem vulcões e  ações terríveis da natureza como terremotos, maremotos, furacões e violentas nevascas, lá não canta o sabiá mas os pássaros que lá gorgeiam não gorgeiam com aqui.  O Brasil é um país muito agraciado pelo Universo. Aqui encontramos uma fauna maravilhosa e uma flora de espécies perfeitas, florestas muito densas e rios de águas transparentes e sem igual. Mas, no Japão apesar de todo concreto, vidro e rigidez de regras e tecnologia de ponta encontramos calor humano, generosidade ao próximo e respeito aos menos favorecidos. Encontrei minha segunda pátria e minha paixão por tudo que vi e senti.  

Minha paixão pelo outono com suas montanhas muito coloridas e seus rios límpidos que convidam a um passado ainda presente.  A primavera de um rosa quase transparente das sakuras trazendo mais esperança e conforto todos os anos. A neve branca que imacula totalmente suas impurezas. E sua crença  justa. Que nos leva a um passeio espetacular dentro de nós mesmos. Buscando assim nosso melhor, nossa singular forma de viver e amar o próximo. Nosso verdadeiro lado humano.

2011/03/16 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Samurais

Um dia acordei e dei um salto. Em pé ao lado de minha cama estava um Samurai com sua tachi (uma longa espada) pendendo de sua cintura e arco e flexa nas costas. Era a imagem de perfeita de um guerreiro com aparência rude, pele morena, cabelos amarrados num rabo de cavalo, num penteado muito exótico  e brutal. Mas, havia uma harmonia que a princípio não decifrei. Sua armadura militar que parecia desenhada em seu próprio corpo era de uma beleza estonteante definindo assim seu passado muito antigo. Mas o que presenciei  ali foi um homem perfeito que apesar de sua indumentária trazia consigo a polidez de um cavaleiro, líder de uma elite de guerreiros com gestos extremos e apurados. Transpirava disciplina e paixão pelas artes marciais e cultura. Suas ações eram intelectualmente sensuais.   Olhou à sua volta, reverenciou e saiu pela porta fechada de meu quarto. 

Não sei se foi um sonho ou se me perdi num devaneio ou meditação, porque senti o cheiro daquela masculinidade espiritual e eclética e a plenitude divina de seu olhar.

2011/03/10 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Arte Oriental

 

Toda Arte tem sua origem e beleza, seu significado, sua trilogia.  Trazidos da China para o Japão nos séculos VII e VIII , porem  ja eram idealizados desde o kamakura jidai (1185~1333) pelos monges e nobres que construiam suas redidencias sobre pavilhões e lagos artificiais. Os jardins japoneses têm uma perfeição natural, simbolizando as montanhas e a espiritualidade idealizadas pelo Budismo. As pedras que enfeitam esses jardins têm significados diversos e não estão ali por acaso. Enquanto que uma pode significar uma castaca,  um barco, ou ainda uma ilha,  a areia muito branca simboliza as correntezas de águas muito puras dos rios ou ainda um mar sereno. Temos ainda as fontes em dimensões diversas que denotam todo contato do  humano com a natureza ZEN e a energia da natureza.

2011/02/14 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Meu livro

“Aos 26 anos, residindo em Curitiba longe de meus familiares por opção de casamento começa minha saga.

Após dois anos de casa- não-casa e muitos separa-não-separa, nos casamos e com a decisão de acrescentar experiência em nossas vidas e currículos fomos residir em outro pais. Que nada menos era do que o Japão de 1991, onde a economia borbulhava cifrões e  espelia sua cultura para o mundo.

Uma cultura totalmente metódita, ímpar com todas os seus costumes milenares e modernos ao mesmo instante, onde as pessoas são discretíssimas e bondosas. Um país sofrido por guerras avassaladoras, mas muito positivista e não arcaico,  como muitos imaginavam até hoje.

Onde lemos “Terra do Sol Nascente” no horizonte do Aeroporto de Narita-Toquio, quando desembarcamos em junho deste mesmo ano.

Cada batida cardíaca era uma explosão transbordante de curiosidade. Um calor intenso, com a umidade do ar passando dos 80%. Neurônios excitados por tantas palavras, desenhos e anúncios que não podíamos ler ou entender.

Amei o Japão à primeira vista. Seu look futurista em meio a tantas tradições milenares e centenárias”…

Aqui esta uma previa do livro que escrevo e sera lançado em 2011.

Espero que 2011 seja um Ano de Muitas Realizações

2011/01/03 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Recordando minha chegada ao país das Gueixas e Samurais

Quando desci no Aeroporto de Narita meu desembarque foi reverenciado com um leve odor de peixe e uma maresia enjoativa que trazia consigo um calor infernal. Algo insuportavelmente úmido que até hoje posso sentir aqela sensação de sufoco. Sim, aquele meu primeiro verão no Japão era muito quente, cinza e úmido. Você transpirava mesmo sem se mover. E decepcionei-me a principio pois esperava encontrar muitas mulheres lindas em seus quimonos bem trabalhados e homens elegantes de chapéu. Porem  a realidade nipônica era muito  diferente. Quase todos os homens usavam terno e gravata e as mulheres, roupas muito discretas. Nada de barriga de fora, peitos à  mostra,  assim como nós do país tropical. Nada demonstrações de afeto em público ou vares com mesas nas calçadas. Mas  depois de muitos verões ali, aprendi a respeitar e amar aquela cultura que aos poucos tornou-se a minha propria. E posso dizer que o Japão é um dos lugares mais perfeitos que já conheci, com suas lembranças muito antigas, com caixinhas de surpresas incrustadas naqueles maravilhosos arranha-ceus inteiramente confeccionados em vidros fume, mármore e concreto. Mesmo sem procurar muito você encontra historias e lembranças milenares que  irão conquistar você eternamente tal qual uma paixão de colecionador. Eu decidi colecionar estas lembranças… 

E,  em 18 anos notei muitas mudanças naquele País. Mudanças tão nítidas que posso recordar com um piscar de olhos…

2010/10/31 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Monte Fuji…porque não escalar… para o céu do Japao?!

Japan

Quando a imigração japonesa começou ha 100 anos atras, talvez eu tenha vindo tambem como japonesa. Nunca se sabe, pois me adaptei tão bem àquele País que muitas vezes penso em renegar minhas origens portuguesa, indígena, italiana e Alemã, ou mais umas tantas outras, mas sou brasileiríssima e não nego. Aliás, sempre me confundiam com italiana, espanhola porque nunca tive aquele ar abrasileirado, deslumbrante característico de nossa raça, sempre fui muito discreta e odiava chamar atenção.

Uma vez uma amiga japonesa me disse: “Voce nem parece estrangeira, se veste muito discretamente, com roupas pouco coloridas, cabelos sempre arrumados”. Será que as brasileiras andam despenteadas? Sim. Sempre com aquele cabelão inteiro, todas com a mesma cara. Foi isto que percebi assim que desci no Aeroporto de Guarulhos em 19 de Março de 2009, depois de 19 anos.
Achei o Aeroporto uma coisa muito pequena, sem brilho, sem identidade e todos olhavam insistentemente, sim porque o brasileiro olha, encara e não se toca, nem disfarça… coisas de gente fria.
Bom depois esperamos por minha família quase 1 hora. Sim 1 hora de atrazo. Ah! Mas é o transito, a chuva, um acidente, etc. Brasileiro tem desculpa pra tudo, só não tem desculpa para chegar adiantado.
Estava voltanto para minha amada Pátria-Brasil, e já me sentia uma exilada nem conseguia mais falar o portugues corretamente e não achava as palavras certas para definir meu espanto e encanto. A São Paulo de 20 anos atras já não era a mesma poluída de carros velhos, mendigos e buzinas ensurdecedoras, estava bonita, sem aquelas toneladas de lixo nas ruas, e não estou falando de Jardins, falo das Margens da Marginal Pinheiros, de Santo Amaro, Ibirapuera, Brooklin, Butantã e Cidade universitária (USP). Mas minha primeira impressão nao para por aqui, mas falarei sobre isto mais tarde.
Agora quero e preciso falar de minha chegada na Terra dos Samurais.

2010/01/19 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário